7 bons hábitos para reforçar os bons exemplos aos filhos

Este é o quarto e último post da Altiva Foco em Pessoas que tem como foco o tema “exemplo”. Como já dissemos nas publicações anteriores, os pais devem estar sempre atentos ao tipo de exemplo que estão fornecendo às crianças. Em qualquer tipo de situação, desde as pequenas coisas, o exemplo se torna o mais significativo referencial para a criança. Mesmo aqueles que nós não damos muito valor. Mas para isso é importante que os pais mantenham bons hábitos.

No texto anterior, publicamos algumas dicas de como você, pai ou mãe, pode analisar seus hábitos e costumes para identificar quais os exemplos você vem dando a seus filhos e como você pode agir para mudar o que for necessário. 

A proposta

Agora, estou aumentando o desafio. Você topa? Isso porque quem está comprometido com a educação infantil deve estar ciente de que a criança está atenta a tudo e o tempo todo. Elas percebem até mesmo as pequenas pistas subjetivas que expressamos de tristeza, mágoa, raiva e assim por diante. Dessa forma, aumentarmos os bons exemplos e aprofundarmos o nível de penetração de ações positivas com certeza auxiliará na boa formação moral da sua criança.

Para isso, fiz uma pesquisa sobre as lacunas na educação infantil. Com isso, levantei quais são os temas de conflito para a formação dessa nova geração. Após essa pesquisa, criei uma lista de pontos que podem contribuir de alguma forma para a melhoria da educação das crianças por meio do exemplo paterno/materno. Tudo isso porque é notório que hoje aquelas atitudes mais comuns do nosso dia a dia, como ser um bom aluno e estudar, ser honesto e não roubar, aquele “arroz com feijão”, não são mais suficientes para balizar uma boa educação. Os tempos mudam e as necessidades humanas também. Tudo está em evolução e se não crescermos com as demandas dessa nova geração perderemos o controle do barco.

Os 7 bons hábitos

Nesse sentido, sabendo de antemão que a maioria dos pais e mães deseja fazer o melhor pelos seus filhos, sugiro que cada um analise e reflita como é possível acrescentar, em seu repertório de exemplos e hábitos diários, atitudes que incentivem as crianças a:

  • Expressarem seus sentimentos: essa não é tarefa fácil. Nem mesmo a maioria dos adultos faz isso com primor, pois isso requer treino e prática. Mas, se a criança percebe como os pais expressam seus sentimentos perante as diferentes situações da vida, ela será estimulada a falar dos seus e com isso terá a oportunidade de crescer emocionalmente e lidar melhor com os próprios sentimentos e com os dos outros.
  • Serem verdadeiras: falar a verdade e ser verdadeiro são valores que a nossa sociedade precisa ter no seu alicerce. Uma forma de fazer isso é por meio do ambiente familiar. Por isso, os pais podem estimular a transparência no lar, mostrando aos filhos com seus exemplos os benefícios de se falar a verdade. Porém, não é deixando de impor uma punição se o filho faz algo errado, mesmo quando ele contar a verdade. Mas reconhecer o seu esforço, sua atitude de coragem e deixar claro para ele que, apesar do erro, os laços de confiança ainda existem.
  • Fazerem o bem e ajudar os outros: podemos fazer isso de várias formas, mas o ideal é começar dentro de casa, ajudando na limpeza da casa, na arrumação do quarto, na manutenção da ordem. Depois a ajuda pode expandir-se para o ambiente externo, envolvendo outras pessoas que podem ou não ser do convívio da família. O mais importante nesse caso é os pais demonstrarem e deixarem claro para a criança que, para ajudarmos os outros, doamos algo de nós, seja um bem material ou nosso próprio esforço.
  • Reconhecerem seus erros: todos nós erramos. Sem nenhuma exceção. O que normalmente percebo é que os pais assumem uma postura de “perfeição”, de alguém que nunca comete um erro. E a coisa não é bem assim. Pais também erram. Ora, também são humanos! E nada mais humano que reconhecer o erro quando ele for cometido. Pedir perdão e seguir em frente. Isso é muito positivo na criação dos filhos quando feito da maneira certa, porque a criança começa a reconhecer que não é infalível e aprende a desculpar os outros. É um exercício de humildade acima de tudo.
  • Valorizarem o conhecimento: esse é outro ponto para o qual chamo a atenção. Todos nós podemos aprender constantemente. Devemos assumir uma postura de aprendizes perante a vida. Incentivar os filhos a buscarem sempre novos conhecimentos é sempre positivo. Uma forma de fazer isso é ler com eles e dar livros para que eles leiam. Outra coisa é incentivá-los a criar suas próprias estórias, seja por meio de teatro com fantoches ou criando um livro realmente. Se dentro do lar a criança possui incentivos constantes para estar sempre estudando, lendo, adquirindo novos conhecimentos, ela crescerá valorizando toda a riqueza do conhecimento em sua vida.
  • Pensarem positivamente: uma das coisas mais difíceis de mudarmos é o nosso pensamento. Somos condicionados a pensar negativamente por causa de nossa vasta história pregressa. Assim, sempre pensamos primeiro no negativo, no ruim, na desvalorização. Uma coisa que os pais precisam fazer é mudar a sua frequência de pensamento, mesmo! E ensinar seus filhos a também pensarem positivamente. É diferente de ser arrogante e de “se achar a última bala do pacote”. É de manter uma atitude que acredita ser capaz de superar as barreiras.
  • Serem responsáveis: um dos maiores erros que presencio na vida em família é os pais tentarem ensinar os filhos a serem responsáveis na teoria, mas falharem quando a parte prática chega. Tentam poupá-los de vivências mais árduas, mas esquecem-se de que é somente passando por ela que realmente aprenderão. Nesse sentido, os pais devem assumir o papel de tutores, fazendo com que os filhos assumam suas escolhas e suas responsabilidades. Isso dará a maturidade necessária para seguir em frente na vida adulta.

Faça assim a diferença

As sugestões acima parecem ser coisas simples e, talvez, bobas, mas que fazem uma grande diferença na vida dos pais e das próprias crianças. Tudo o que foi dito faz parte do crescimento pessoal dos pais, mas também podem possibilitar a germinação de virtudes nas crianças. Os exemplos bem vividos dentro do lar auxiliam a evolução em dois lados, dos pais e dos filhos, trazendo a melhoria das relações e a promoção do desenvolvimento humano como um todo. Pare agora e pense: quais são os exemplos que estou dando aos meus filhos? E quais os exemplos que eu quero que eles se lembrem e carreguem nas suas vidas? Tendo essas certezas, faça a sua parte, mude o que for necessário e aja pensando nesses norteadores. Daqui uns anos você verá o resultado! Pode apostar!

Bem, se você não leu ainda as outras postagens da Altiva Foco em Pessoas, acesse o nosso blog e pesquise os conteúdos disponíveis. Com certeza vai ter alguma coisa que o interessará. Acesse e mande as suas sugestões e opiniões sobre o material. Queremos saber a sua opinião. Clique aqui e colabore para que possamos sempre melhorar esse trabalho de disseminação de informações. Altiva Foco em Pessoas: despertando o melhor do ser humano!

 

Comentários